16 Diciembre 2017

Educação: omissão do Estado e dos cidadãos

on Miércoles, 04 Septiembre 2013.

Os números são impressionantes: as famílias brasileiras gastarão R$ 62,8 bilhões com educação em 2012.

Educação: omissão do Estado e dos cidadãos

 

Este volume equivale ao Produto Interno Bruto do Paraguai. Nada desprezível.

O valor aqui apontado é distribuído da seguinte forma: alta renda gastará R$ 32,4 bilhões, a classe média R$ 28,1 bilhões e a classe baixa R$ 2,3 bilhões. O destino do dinheiro é para matrículas, mensalidades escolares, livros e material didático.

Isso nos remete a refletir quais são efetivamente as prioridades do Estado (em todas suas esferas). Quando do consenso de Washington no final dos anos 1980, o indicativo era que os governos enxugassem a máquina, concentram-se em questões inerentes ao Estado, como educação, saúde, segurança, entre outros, deixando à iniciativa privada atividades econômicas. O Brasil entrou nessa.

Todos somos sabedores que se o país pretende ser a potência que todos alardeiam, portanto promover uma verdadeira revolução interna, isso passa necessariamente pelo investimento em educação. Isso não ocorrerá com o modelo atual em que o cidadão, as famílias são obrigadas a pagar duas vezes: em tributos e em escolas particulares.


Puede revisar el arículo completo en www.reinaldocafeo.com.br

Equipo

Director
Jorge F. Méndez
Directora gráfica
Cândida Magalhaes
 
 
Colaboran:
   
En Chile:   Mauricio Quiroga, Miguel Ferrer, Patricia Ruiz y Bénédicte Cantin
En Miami: Jorge Hurtado
En Paraguay: Rodrigo Zavala, Nancy Servián y Gloria Ayala Person
En Venezuela: Eli Bravo
En Argentina: Marcelo Berenstein
En España: Borja Milans del Bosch
En Uruguay: Gabriela Cándido